fbpx
Podcast Mudança de Hábitos

#4 – Como trabalhar com nossas expectativas para não nos frustrarmos?

#4 – Como trabalhar com nossas expectativas para não nos frustrarmos?

 
 
00:00 / 9:40min
 
1X
 

Por que ficamos bravos, frustrados ou decepcionados com nós mesmos e com outras pessoas em nossas vidas?

Seja honesto – isso acontece com todos nós, certo? Outras pessoas podem parecer rudes, frustrantes, não confiáveis, insensatas, ofensivas.

E embora não haja desculpa para comportamentos prejudiciais, na maioria das vezes, o verdadeiro problema não está na outra pessoa… está nas nossas expectativas em relação a elas.

As expectativas que temos sobre os outros geralmente geram nossas próprias frustrações.

Então, como podemos trabalhar com essas expectativas para estarmos mais em paz, menos reativos e mais compassivos com os outros?

Vamos dar uma olhada.

Aqui estão algumas maneiras de praticar e trabalhar com suas expectativas em relação as outras pessoas:

  1. Reconheça a dor: observe a dor da frustração, raiva, mágoa, irritação que você está sentindo. Você não precisa se envolver em uma narrativa a respeito delas – apenas sinta a dor. Não se trata de insistir na dor, mas reconhecê-la, prestando um pouco de atenção nela.
  2. Primeiro seja amoroso consigo mesmo: depois você poderá ser com os outros. É sobre praticar a amorosidade por si mesmo primeiro, antes que você possa se voltar para os outros com amorosidade. A prática é gerar um sentimento de amorosidade em seu coração (não apenas em pensamentos)… como se você sentisse amorosidade por um ente querido que está estressado ou magoado. Esse sentimento ajuda você a lidar com a dor que sente por expectativas não atendidas.
  3. Veja de forma ampla: depois de ser compassivo consigo mesmo, abra sua mente além da pequena bolha de sua preocupação. Vivemos nessa bolha a maior parte do tempo – nos preocupando apenas conosco, querendo o que queremos, não querendo o que não queremos. Isso é natural e não é uma coisa ruim. Mas há um mundo maior além dessa bolha de preocupação pessoal. É um mundo mais amplo, onde você pode ver as preocupações dos outros, ver a dor e os padrões inúteis, ver a bondade dos outros, ter uma perspectiva maior. A prática é abrir sua mente para essa perspectiva mais ampla e ver a bondade da outra pessoa.
  4. Estoure a bolha das expectativas: Assim como você supera a bolha de preocupação, você também pode superar a bolha das suas expectativas. Pense nas expectativas que você tem dos outros como uma bolha imaginária que você criou – e solte a bolha! Sem a bolha, você está livre das expectativas. Como é isso? Como é a outra pessoa, sem suas expectativas em relação a ela?
  5. Pratique ser amoroso e bondoso: vendo seu comportamento não ideal, você pode ver que a outra pessoa provavelmente está agindo de um local de dor, medo ou incerteza? Eles provavelmente estão reagindo de maneira habitual a esse medo e dor. E sim, é rude, doloroso, inútil. Mas é inútil e prejudicial para eles também, e eles têm que viver a vida inteira assim. Veja se você pode ser amoroso por este ser humano à sua frente, que está com dor e medo, e preso nesse padrão inútil. Sem se sentir superior a eles, ou julgá-los. Apenas por pura bondade por um ser humano, desejando-lhes o fim de sua dor e sofrimento. Esta é uma prática poderosa. Nota: Você pode e ainda deve se proteger, se estiver sendo prejudicial – mas, ao fazer isso, ainda pode ser amoroso e bondoso.
  6. Não leve nada para o lado pessoal: não devemos levar nada para o lado pessoal, sei que é difícil as vezes, mas a forma como a outra pessoa vê o mundo diz mais sobre elas do que sobre você, pois é uma projeção interna da mente delas.. Isso nos ajuda a ver suas dificuldades e a sentir bondade por elas, sem nos machucar, sem ficar preso no inferno pessoal de odiá-las por isso.

E, assim, trabalhando com nossas expectativas … podemos ver a dor que elas nos causam e nos dar alguma compaixão.

Podemos nos libertar da bolha de nossas expectativas e preocupações, para ver a bondade da outra pessoa, a dor e os padrões da outra pessoa, e dar-lhes compaixão. E, finalmente, não leve as coisas para o lado pessoal, libertando-nos de um inferno pessoal.

Esta é uma prática, e vale a pena.


GRUPO TELEGRAM
Quer receber dicas, novos podcasts e citações diárias? Entre no grupo do Telegram clicando no link:
https://t.me/mudancadehabitos


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *